Teste de condutividade elétrica em sementes de Senna siamea(Lam.) H.S. Irwin & Barneby

Alek Sandro Dutra, Sebastião Medeiros Filho, Fabio Oliveira Diniz

Resumo


A avaliação do vigor tem sido ferramenta fundamental dentro de programas de controle de qualidade de sementes, sendo o teste de condutividade elétrica parte importante do processo. O trabalho teve como objetivo estudar os procedimentos do teste de condutividade elétrica para sementes de cassia-do-sião, visando o estabelecimento de metodologia específica para condução desse teste. Para isso, três lotes de sementes foram avaliados pelos testes de germinação, primeira contagem de germinação, índice de velocidade de emergência e de condutividade elétrica (CE). Neste foram estudadas variações na temperatura (20; 25 e 30 oC) e no tempo de embebição (6; 12; 18; 24; 30 e 36 horas). Observou-se que a embebição para o teste de condutividade elétrica pode ser realizada em 6 horas.A temperatura de 30 oC foi a mais favorável para a ordenação consistente dos lotes quanto ao vigor. Assim, para determinar a qualidade fisiológica de lotes de sementes de cássia-do-sião, a condição mais adequada para o teste de condutividade elétrica é a utilização de 50 sementes em 75 mL de água por 6 horas, a 30 oC. O lote 3 foi o de melhor qualidade fisiológica, ao passo que o lote 2 apresentou sementes menos vigorosas, ficando o lote 1 como intermediário.


Palavras-chave


Senna siamea, temperature, soaking, physiological potential

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.