Respostas morfogenéticas de tomateiro cultivado in vitro

Neiliane Santiago Sombra Borges, Abdellatif K. Benbadis, Cláudia Araújo Marco

Resumo


Os potenciais morfogenéticos dos explantes são diversamente distribuídos nas espécies e cultivares de tomate. Com o objetivo de estudar a germinação e as respostas morfogenéticas in vitro de três cultivares de tomate (Lycopersicon esculentum Mill): “Diva” , “Carmem” e “Thomas” e diferentes explantes na presença de TDZ; dois experimentos foram conduzidos em laboratório, utilizando como fonte de explante material germinado in vitro. O primeiro experimento constou da avaliação de percentagem de germinação de três cultivares de tomate em meio de cultura, suplementado ou não com 10 µM de TDZ e das respostas desse material após a germinação. O segundo experimento avaliou a indução de respostas morfogenéticas em explantes de diferentes partes da planta em cada uma das três cultivares, na presença de 10 µM de TDZ. Os resultados indicaram que não houve diferença na germinação das três cultivares testadas e que o TDZ beneficiou a germinação. A cultivar Carmem foi a que apresentou os melhores resultados para formação de calos e a cultivar Thomas foi a que apresentou maior formação de brotos, ambos na presença de TDZ. Para todas as cultivares testadas, verificou-se respostas morfogenéticas na região hipocotiledonar e na presença de TDZ.

Palavras-chave


Lycopersicon esculentum, germination, in vitro cultivation.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.