Produção relativa do milho e teores folheares de nitrogênio, fósforo, enxofre e cloro em função da salinidade do solo

Paulo Afonso Ferreira, Giovanni de Oliveira Garcia, Júlio Cezar Lima Neves, Glauco Vieira Miranda, Delfran Batista dos Santos

Resumo


A concentração de sais na solução do solo pode ser fator determinante na produtividade das culturas, pois sua ação pode ir de uma simples diminuição do potencial de água no solo até uma injúria celular causada por um estresse oxidativo na planta. Os efeitos da salinidade do solo sobre a produção relativa da variedade de milho UFV 100 e os teores folheares de nitrogênio, fósforo e enxofre, e suas relações com o cloro foram avaliados em um experimento em lisímetros de drenagem sob condições de casa de vegetação, montado em delineamento inteiramente casualizado com sete tratamentos, sendo um irrigado com água doce, sem lixiviação, e seis irrigados com água salina de 1,20 dS.m-1, com frações de lixiviação de 40; 30; 20; 15; 10 e 5% da lâmina de irrigação aplicada, e três repetições. Os teores de cloro nas folhas de milho elevaram a partir dos 120 dias após o plantio (DAP), enquanto os teores de nitrogênio e fósforo reduzem a partir dos 90 e 120 DAP, e os de enxofre a partir dos 120 DAP. As relações Cl-/N, Cl /P, Cl /S aumentam a partir dos 120 DAP, (60 e 120) DAP e (60; 90 e 120) DAP, respectivamente. A variedade de milho UFVM 100 mostrou-se sensível à salinidade do solo e a produção relativa decresceu 15,68% com incrementos unitários da salinidade do solo acima de 1,70 dS.m-1 (salinidade limiar).


Palavras-chave


Soil salinity, Zea mays L., mineral nutrition

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.