Relações fonte-dreno em feijão-de-corda submetido à deficiência hídrica

Roselita Maria de Souza Mendes, Francisco José Alves Fernandes Távora, João Bosco Pitombeira, Rejane Jurema Mansur Custódio Nogueira

Resumo


Conduziu-se um experimento em casa de vegetação com o objetivo de analisar as alterações na relação fonte-dreno em feijão-de-corda [Vigna unguiculata (L.) Walp.], cultivares Epace 10 e Seridó, por meio de ciclos de deficiência hídrica nas fases vegetativa e reprodutiva. O potencial hídrico foliar, a condutância estomática e a transpiração sofreram reduções aos 29 e 52 dias após a semeadura, quando o estresse hídrico foi aplicado nas fases vegetativa e reprodutiva, respectivamente. As plantas apresentaram elevada capacidade de recuperação após o término do estresse aplicado no período vegetativo. As restrições hídricas impostas não influenciaram a capacidade de fonte (número de folhas, área foliar e área foliar específica) e a eficiência reprodutiva, mas reduziu o tamanho do dreno (número de vagens, número e peso de sementes/planta). Quando aplicado na fase vegetativa, o estresse inibiu o processo de abscisão foliar e o potencial de dreno da planta (flores/planta). O cultivar Epace 10 apresentou maiores potencial e capacidade de drenos reprodutivos. O estresse na fase reprodutiva causou grande redução na relação produção de sementes/área foliar em ambos os cultivares.


Palavras-chave


Vigna unguiculata (L.) Walp., water potential, transpiration, water stress

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.