Aspectos morfofisiológicos na pré-aclimatização in vitro e aclimatização de plantas de caroá

Daniela Garcia Silveira, Ádila Melo Vidal, Carlos Alberto Silva Ledo, José Raniere Ferreira de Santana, Fernanda Vidigal Duarte Souza

Resumo


O objetivo deste trabalho foi estudar a influência da sacarose (0; 15 e 30 g L-1), tipo de vedação (filme de PVC e tampão de algodão) dos tubos de ensaio, e a concentração dos sais do meio MS (50; 75 e 100%) sobre os aspectos morfofisiológicos das plantas de caroá durante a fase de pré-aclimatização in vitro visando otimizar a taxa de sobrevivência e reduzir o tempo de aclimatização das mudas. A análise das características de comprimento, produção de matéria seca, taxa de sobrevivência e enraizamento mostraram que as plantas de Neoglaziovia variegata nas fases de pré-aclimatização in vitro e aclimatização foram dependentes das concentrações de sacarose e nutrientes inorgânicos, além da aeração. Melhores resultados foram obtidos quando as mudas de caroá foram inoculadas em meio MS com a concentração original dos sais do MS, suplementado com 15 ou 30 g L-1 de sacarose e vedadas com tampão de algodão.

Palavras-chave


Caroá; Tecidos vegetais-cultura e meios de cultura; Sacarose

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.