Teores de carboidratos nas folhas e regularidade da produção de tangerineira ‘Ponkan’ raleadas com Ethephon

Rodrigo Amato Moreira, José Darlan Ramos, Maria do Céu Monteiro da Cruz, Lílian de Araújo Pantoja, Alexandre Soares dos Santos

Resumo


Práticas de manejo que proporcionem a manutenção das reservas de carboidratos nas tangerineiras são necessárias para garantir boas produtividades. O experimento foi conduzido com o objetivo de avaliar os teores de carboidratos foliares e a regularidade da produção de tangerineira ‘Ponkan’ (Citrus reticulata Blanco) submetida ao raleio químico com cinco concentrações de Ethephon por três anos consecutivos. As tangerineiras ‘Ponkan’ avaliadas estavam enxertadas sobre limoeiro ‘Cravo’ (Citrus limonia Osbeck), cultivadas no espaçamento 6,0 x 3,0 m e com 12 anos de idade. As concentrações de Ethephon testadas foram: 0; 200; 400; 600 e 800 mg L-1, aplicadas quando as frutas estavam com 25 a 30 mm de diâmetro transversal, nos meses de janeiro de 2009, de 2010 e de 2011. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados, com quatro blocos e quatro plantas por parcela. Foram avaliados os teores foliares de carboidratos solúveis, de amido e de carboidratos totais nos períodos de floração e de colheita. Após 15 dias da aplicação das concentrações avaliou-se o percentual de raleio. Nas colheitas foram avaliadas a produção, a carga pendente e a alternância de produção. O raleio químico com Ethephon favorece a manutenção dos teores de carboidratos foliares na tangerineira ‘Ponkan’. A concentração mais eficiente para reduzir a alternância de produção em tangerineiras ‘Ponkan’ é 600 mg L-1 de Ethephon.


Palavras-chave


Citrus reticulata Blanco; Raleio químico; Alternância de produção; Etileno

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.