Secagem de folhas Mentha piperita em leito fixo utilizando diferentes temperaturas e velocidades de ar

Priscila Pigatto Gasparin, Divair Christ, Silvia Renata Machado Coelho

Resumo


A espécie Mentha piperita, conhecida popularmente como hortelã pimenta além de ser uma planta medicinal, é utilizada nas indústrias farmacêutica, alimentícia e cosmética. Desta forma, o processo de secagem se faz necessário para aumentar o tempo de conservação e vida útil do produto facilitando seu transporte, manuseio e armazenamento. Para que os derivados do hortelã tenham qualidade, é necessário estudos sobre a pré e a pós-colheita. Objetivou-se neste estudo a avaliação de secagem, e para a obtenção das curvas foram utilizadas as temperaturas  no intervalo de 30 a 70 oC com variação da velocidade do ar de secagem 0,3 e 0,5 m.s-1. Para a realização da secagem das folhas, foi utilizado um secador de leito fixo em escala de laboratório, que possui um ventilador para a movimentação do ar e sistema de aquecimento. Os resultados evidenciaram que o modelo de Midili é o que melhor se ajusta aos dados experimentais. A relação do coeficiente de difusão com a temperatura de secagem pode ser descrita pela equação de Arrhenius, apresentando uma energia de ativação para velocidade 0,3 m.s-1 68,42 KJ mol-1 e para velocidade 0,5 m.s-1 78,27 KJ mol-1.


Palavras-chave


Planta medicinal; Cinética de secagem; Modelagem matemática

Texto completo:

PDF

Referências


BABALIS, S. J.; BELESSIOTIS, V. G. Influence of the drying conditions on the drying constants and moisture diffusivity during the thin-layer drying of figs. Journal of Food Engineering, v. 65, n. 3, p. 449-58, 2004.

BERBERT, P. A. et al. Simulation of coffe drying in a fixed bed with periodic airflow reversal. Journal of Agricultural Engineering Research, v. 60, n. 3, p. 167-73, 1995. BROOKER, D. B.; BAKER-ARKEMA, F. W.; HALL, C. W. Drying and storage of grains and oilseeds. New York: AVI Book Publication, 1992. 450 p.

CORRÊA, P. C. et al. Modelo matemático para representação da higroscopicidade de plantas. Revista Brasileira de Armazenamento, v. 27, n. 1, p. 08-15, 2002.

CORRÊA, P. C. et al. Equilíbrio higroscópico de milheto, alpiste e painço: obtenção e modelagem. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 10, n. 1, p. 162-167, 2006.

CORRÊA, P. C. et al. Curvas de dessorção e calor latente de vaporização para as sementes de milho pipoca (zea mays). Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 2, n. 1, p. 75-79, 1998.

CORRÊA, P. C. et al. Modelagem matemática para a descrição do processo de secagem do feijão (Phaseolus vulgaris L.) em camadas delgadas. Engenharia Agrícola, v. 27, n. 2, p. 501-507, maio/ago., 2007.

DIAS, R. A. L.; SOUZA, P. S.; ALSINA,O. L. S. Efeito da temperature de secagem sobre o rendimento na extração de taninos totais e óleos essenciais da hortelã (Mentha x vilosa Hudson). Revista Brasileira de Farmácia, v. 93, p. 431-438, 2012.

DOMIJAN, A. M. et al. Seed borne fungi and ochratoxina: a contamination of dry beans (Phaseolus vulgaris L.). Food and Chemical Toxicology, v. 43, n. 3, p. 427-432, 2005.

DOYMAZ, I. Drying kinetics of White mulberry. Journal of Food Engineering, v. 61, p. 341-346, 2004.

DOYMAZ, I. Thin-layer during behavior of mint leaves. Journal of Food Engineering, v. 74, n. 3, p. 370-375, 2006.

GONELI, A. L. D. et al. Propriedades físicas dos frutos de mamona durante a secagem. Revista Brasileira de Armazenamento, v. 33, p. 148-155, 2008.

GONELI, A. L. D. et al. Modelagem matemática e difusividade efetiva das folhas de aroeira durante a secagem. Pesquisa Agropecuária e Tropical, v. 44, n. 1, p. 56-64, jan./mar., 2014.

HERTWIG, I. F. V. Plantas aromáticas e medicinais. 1. ed. São Paulo: Ícone, 1986. 449 p.

MADAMBA, P. S.; DRISCOLL, R. H.; BUCKLE, K. A. Thin layer drying characteristics of garlic slices. Journal of Food Engineering, v. 29, p. 75-97, 1996.

MARTINAZZO, A. P. et al. Análise e descrição matemática da cinética de secagem de folhas de capim-limão. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 11, n. 3, jun., 2007.

MARTINAZZO, A. P. et al. Modelagem matemática e parâmetros qualitativos da secagem de folhas de capim–limão [Cymbopogon citratus (D. C.). Stapf]. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 12, n. 4, p. 488-498, 2010.

MATTOS, S. H. Perspectivas do cultivo de plantas medicinais para a fitoterapia no Estado do Ceará. Horticultura Brasileira, v. 18, p. 45-46, 2000.

MOHAPATRA, D.; RAO, P. S. A thin layer drying modelo f parboiled wheat. Journal of Food Engineering, v. 66, n. 4, p. 513-518, 2005.

PONTES, S. F. O. et al. Determinação das curvas de secagem em camada delgada de pimenta de cheiro (Capsicum chinense) a diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 11, n. 2, p. 143-148, 2009.

PRATES, M. F. O. et al. Cinética de secagem de folhas de Solanum lycocarpum A. St.-Hil. (fruta-de-lobo). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 14, n. 3, p. 514-521, 2012.

PRATES, M. O. et al. Modelagem matemática de um sistema de secagem de plantas medicinais e aromáticas. Engenharia na Agricultura, v. 15, n. 2, p. 96-108, abr./jun., 2007.

RADÜNZ, L .L. et al. Avaliação da cinética de secagem da carqueja. Engenharia na Agricultura, v. 19, n. 1, jan./fev., 2011.

RESENDE, O. et al. Modelagem matemática do processo de secagem de duas variedades de feijão (Phaseolus vulgaris L). Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 10, n. 1, p. 17-26, 2008.

SILVA, F.; PARK, K. J.; MAGALHÃES, P. M. Isotermas de dessorção de Calendula officinalis L.: determinação experimental e modelagem matemática. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 9, n. 1, p. 21-28, 2007.

SILVA, J. S.; AFONSO, A. D. L.; GUIMARÃES, A. C. Estudos dos métodos de secagem. In: SILVA, J. S. Pré-processamento de produtos agrícolas. Juiz de Fora: Instituto Maria, 1995. p. 105-143 p.

SILVA, L. A. et al. Cinética de secagem e difusividade efetiva em folhas de Jenipapo (Genipa americana). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 4, p. 953-963, 2015. Suplemento 2.

STATSOFT INC. Statistics for Windows (computer program manual). Tulsa, OK, 2007.

VILELA, C. A. A.; ARTUR, P. O. Secagem do açafrão (Curcuma longa L) em diferentes cortes geométricos. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 28, p. 387-394, 2008.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.